Imac troca experiências sobre rastreabilidade bovina com instituições de SC

A rastreabilidade individual na pecuária de corte é uma ferramenta que centraliza todo o registro de ciclo de vida do animal

Continue depois da publicidade

Diretores do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac) conheceram o modelo de rastreabilidade bovina pioneiro no Estado de Santa Catarina. O objetivo da troca de experiência é trazer toda a segurança para a manutenção da qualidade dos animais produzidos para Mato Grosso.

Durante a visita técnica realizada nesta semana, os diretores Bruno de Jesus Andrade (técnico operacional) e Paula Sodré Queiroz (executiva) visitaram in loco a implementação da rastreabilidade bovina realizado pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) junto com o Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa).


A rastreabilidade individual na pecuária de corte é uma ferramenta que centraliza todo o registro de ciclo de vida do animal, podendo proporcionar maior controle sanitário e socioambiental no setor.

O diretor técnico operacional, Bruno de Jesus Andrade, destaca a importância de aprimorar esse conhecimento para ter mais qualidade e segurança.

Bruno Andrade, do Imac (Foto: Arquivo DBO)

“O Estado de Santa Catarina foi pioneiro na implementação da rastreabilidade, teve diversos desafios no início da sua implementação e nós viemos conhecer. Aprender para realizar também a identificação e a rastreabilidade no rebanho de Mato Grosso, para trazer todas as seguranças e manutenção da qualidade dos animais que são produzidos. Então é esse o objetivo da nossa visita em Santa Catarina”, pontua Andrade.

SAIBA MAIS | Proposta de política pública de rastreabilidade bovina é entregue oficialmente ao Mapa; veja o documento

Conforme a diretora executiva Paula Sodré Queiroz, o tema é relevante para Mato Grosso, já que o Estado é líder na criação, com pouco mais de 34 milhões de cabeças de gado, conforme os dados de 2023 do Instituto de Defesa Agropecuário do Estado (Indea-MT).

“Nosso papel enquanto Imac é promover a carne bovina mato-grossense e para tanto precisamos fortalecer a sustentabilidade, a qualidade e desenvolver a rastreabilidade. Já trabalhamos com várias ações voltadas para essas áreas e estamos sempre em busca de modelos que deram certo para contribuir com nossos projetos e programas desenvolvidos ou que estão em processo de implementação”, pontuou Paula.

A visita técnica foi realizada na terça-feira (26). Foram os responsáveis por receber os diretores do Imac e realizar a troca de conhecimento o médico veterinário e Diretor de Defesa Agropecuária da Cidasc, Diego Rodrigo Torres Severo e o também médico veterinário e gestor do Departamento Estadual de Defesa Sanitária Animal (Dedsa), Rosemberg Tartari.

Fonte: Ascom Imac

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Programas

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: