Receita dos confinamentos que estão lucrando é revelada em pesquisa inédita

Levantamento, organizado pela Ponta, analisou uma ampla base de dados e identificou o perfil de negócios que mais estão alinhados com a atual dinâmica dessa atividade pecuária
Paulo Dias, CEO da Ponta Agro, apresentou um recorte dos dados do report durante o Encontro de Confinamento e Recriadores da Scot Consultoria

Um inédito panorama do sistema brasileiro de confinamento acaba de ser divulgado pela Ponta, empresa de tecnologia focada na gestão da informação e da precisão na pecuária. De modo geral, o objetivo da pesquisa — respaldada por uma base de dados de 4,1 milhões de cabeças confinadas em 2023 — foi mapear a dinâmica e as estratégias em curso que estão prevalecendo nessa atividade pecuária, bem como viabilizar a identificação do perfil dos produtores que estão obtendo os melhores resultados com esse modelo de negócio.

Um recorte dos dados do referido report foram apresentados na palestra “Esquema tático: analisando as jogadas do confinamento em 2023”, no dia 11 de abril durante o Encontro de Confinamento e Recriadores da Scot Consultoria, que aconteceu em Ribeirão Preto (SP). Paulo Dias, CEO da Ponta Agro, trouxe indicadores importantes para ilustrar a atual conjuntura pecuária de corte intensiva no Brasil, como os custos de reposição, valor de venda dos animais, comportamento do ágio ao longo dos últimos 5 anos, lucro por cabeça e estratégia nutricional, além do fluxo de movimentações de animais no 1º e 2º giros e seus respectivos indicadores zootécnicos.

Alguns indicadores se destacaram por seu impacto nos resultados dentro da porteira, como o custo alimentar e o custo da arroba produzida, confirmando que o olhar atento aos custos de produção e à eficiência da operação é fundamental para a sustentabilidade da engorda intensiva. O grande diferencial do relatório elaborado pela Ponta é a visão analítica a partir de cada animal produzido em 2023.

“Estamos falando de análises robustas de uma base de dados muito ampla e que consideram informações de cabeças monitoradas e não simplesmente de lotes, ou seja, trazem uma visão mais precisa do desempenho da atividade”, explicou o CEO da Ponta, Paulo Dias. “Enquanto empresa de inteligência de dados, o nosso objetivo é entregar ao mercado um estudo que forneça subsídios para ajudar os confinadores a entenderem as melhores estratégias ao longo do tempo para planejarem a sua produção”, afirma.

O dinamismo do “ciclo curto”

Para o executivo da Ponta, nunca foi tão necessário o pleno alinhamento entre pessoas, processos e tecnologias para gerir a pecuária de corte que está cada vez mais veloz, haja visto a consolidação do segundo giro nos confinamentos bovinos — dinâmica avaliada por Paulo Dias como muito positiva, por dar ao produtor uma nova oportunidade de obter lucro caso o primeiro giro não tenha transcorrido a contento.

“A pecuária, de forma geral, se intensificou. Tudo o que era feito em quatro anos, agora é feito em dois. Ou seja, nesse novo modelo de ciclo, o risco aumentou muito e a dinâmica das tomadas de decisões não é mais a longo prazo. Neste cenário de ciclo curto, a propósito, a pecuária ainda precisa lidar com cinco tipos de produções distintas, relacionadas ao Boi China, Cota Hilton, Boi Europa, mercado interno e o mercado de carne especial, demandas que aumentam o nível de complexidade para o produtor”, analisa Dias. “E no caso dos confinamentos, vale lembrar que, anos atrás, os animais chegavam neste sistema para ganhar em torno de cinco arrobas. Agora, a sua importância no processo de terminação aumentou, visto que a média de ganho de peso nos confinamentos passou para 10@, o que demanda muito mais eficiência na gestão.”

Dieta que dá lucro

É de amplo conhecimento da pecuária a importância da alimentação e do planejamento nutricional para o desempenho dos animais de gado de corte. E nessa seara, a pesquisa da Ponta ajuda a tangibilizar a relação que existe entre a dieta fornecida e o nível de lucratividade dos sistemas de confinamento. A apuração da companhia revela, por exemplo, que enquanto o lucro por cabeça girou em torno de R$ 800 na Região Centro-Oeste, em 2023, a lucratividade média na Região Sudeste ficou abaixo de R$ 500 por cabeça. E a nutrição animal é um dos principais fatores para essa diferença.

“Nossa base de dados mostra que no Centro-Oeste, região que é a principal produtora de grãos, o perfil nutricional dos alimentos é melhor do que no Sudeste. Por lá, o produtor tem melhor oferta de insumos nobres, como milho, soja e DDG, por exemplo, o que favorece o desempenho animal. Quando olhamos para o Sudeste, os ingredientes usados com mais frequência são diferentes e mais diversos, porque a luta do confinador dessa região por insumos é mais intensa”, esclarece Dias.

Quem está ganhando dinheiro?

“O confinamento se tornou uma atividade empresarial muito forte e, quando analisamos a nossa base de dados, conseguimos visualizar que há produtores que estão acompanhando as mudanças desse mercado, mas, por outro lado, há quem esteja ‘jogando’ com a cabeça de dez anos atrás. E essas pessoas estão perdendo lucratividade e patrimônio”, resume do CEO da Ponta.

Segundo Paulo Dias, os dados revelam que esse mercado está evoluindo rapidamente e, por isso, o perfil dos gestores dos confinamentos precisa ser mais dinâmico para fazer uma pecuária lucrativa. Além disso, esses profissionais também precisam ter a capacidade de olhar, de maneira integrada, as operações do confinamento, o mercado futuro e “a porteira para fora”, com especial atenção às negociações com os pecuaristas fornecedores de bois e também com os frigoríficos.

“O perfil de confinadores que se comunica melhor com a porteira para fora e sabe lidar com a eficiência da porteira para dentro, com bons níveis de integração entre pessoas, processos e tecnologias, está tendo lucro. Em nossa base, por exemplo, é o confinador que está lucrando cerca de R$ 1 mil por cabeça, enquanto há quem esteja ganhando um terço disso”, revela Dias. “Os empresários que entenderam essa nova dinâmica, têm utilizado melhor as tecnologias para tomar decisões rápidas e ampliar o nível de lucratividade. Resumindo, o confinador precisa ser dinâmico, ágil e analítico.”

Para ter acesso gratuito ao report da Ponta, clique aqui.

 

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo