Conteúdo Original | Revista DBO

Eficiência ambiental começa pela boca

Fazendas pioneiras na seleção para eficiência alimentar mostram que animais de baixo CAR produzem menos metano e podem reduzir a pegada de carbono da pecuária.

Cochos eletrônicos usados pelo Rancho da Matinha para provas de eficiência alimentar.

Por Carolina Rodrigues

Enquanto não surgem ferramentas acessíveis para mensuração direta das emissões de metano por bovinos (veja quadro), uma ferramenta já bastante conhecida pelos selecionadores – o consumo alimentar residual (CAR) – pode perfeitamente ser usada para este fim, ajudando a reduzir a pegada de carbono da pecuária. É o que aponta um estudo feito por Bob Sainz, professor visitante da Universidade Federal de Goiás (UFG), com base em resultados de provas de eficiência alimentar em touros, realizadas pelos criatórios Rancho da Matinha, em Uberaba (MG), e Fazenda Perfeita União, em Pirajuí (SP), sob coordenação da Aval Serviços Tecnológicos.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$ 12,70 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo