OUÇA | O que as centrais de inseminação artificial procuram?

O mercado é dinâmico e muito diverso, em função de nichos e dos vários sistemas de produção, dada a variabilidade de ambientes e níveis de tecnificação

Continue depois da publicidade

As centrais de inseminação artificial têm um papel inquestionável no melhoramento genético do rebanho brasileiro, hoje reforçado pela disseminação das técnicas de reprodução assistida, principalmente a IATF. O desempenho animal saltou, assim como a qualidade do produto-final: a carne bovina.


Porém, nada disso espelha a dificuldade na hora de contratar um touro para coleta. O mercado é soberano, quer respostas rápidas e os investimentos, muitas vezes, parecem correr atrás do próprio rabo. Um touro provado começa na iniciativa do acasalamento e vai lá perto de três anos para se confirmar.

É que esse mercado soberano se transforma rapidamente, às vezes com exigências pontuais. Contudo, graças aos programas de avaliação genética – gerados das Diferenças Esperadas de Progênie (DEPs) – e, atualmente, sobre um vasto leque de informações, a produção de respostas é mais célere.

O que se busca? – Há muitos pontos em comum entre o que as centrais defendem, mas também sutilezas conforme porte, especialização e objetivos comerciais. O assunto é “espinhoso”, segundo Heverardo Carvalho, CEO da Alta Genectis do Brasil, em função de tantas variantes.

A opinião é compartilhada por Stefan Mihailov, presidente do Grupo CRV, também no País. “As empresas focam seus objetivos e concorrem com seus princípios, algumas multinacionais, outras brasileiras. No final, quem ganha é o mercado e a produtividade nos rebanhos”, explica.

Foto: Divulgação

OUÇA  os comentários de Stefan Mihailov

Na Genex, a zootecnista Juliana Ferragute, gerente de Mercado Corte da central, a escolha segue a mesma linha e acrescenta diferenciais específicos, principalmente, quando rebanhos são comerciais e a produção de carne são alvos efetivos para o negócio.

Foto: Divulgação

OUÇA  os comentários de Juliana Ferragute

 

A escolha depende da raça ou origem racial? – De cara, a resposta é sim! Em um País continental, com tanta diversidade de biomas e qualificações de produção, a genética trabalhada em cada caso é relevante e, muitas vezes, decisiva.

Quem situa o assunto é Manoel Francisco de Sá Filho, gerente Negócios Corte da Alta.

Foto: Divulgação

OUÇA  os comentários de Manoel Francisco de Sá Filho

E há ainda a discussão sobre onde cada raça ou origem racial trabalha e com qual papel no modelo produtivo.

Quem salienta a circunstância é Fernando Furtado Velloso, sócio-diretor da CRIO, central de IA com grande atuação no Sul do Brasil, mas importante fornecedora de genética taurina para o cruzamento industrial.

Foto: Arquivo pessoal

OUÇA  os comentários de Fernando Velloso

 

OUÇA MAIS 

Estudo técnico visa melhorar índices de reprodução de bovinos; ouça

Dia Mundial da Água: uma pecuária que faz a lição de casa

Quatro pontos de atenção na transição para a seca

Seis ações para minimizar falta de chuva fora de época

Mais UA/ha com a cultura do capim

Forrageiras para intensificar a pecuária e segurar a seca

Melhore o caixa da fazenda investindo em boas fêmeas

Melhoramento animal é decisivo na lucratividade

Na recria é que se ganha dinheiro com pecuária

Para ganhar mais com boi em 2024 (Parte III)

Uma luz vermelha na produção de leite bovino

Para o mercado de leilões, dias melhores virão

CONHEÇA E-DBO | A nova linha de e-books da DBO

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo