Pecuaristas enviam 15 t de carne de charque a vítimas das enchentes no RS

Criadores do Estado de Goiás entendem que não se pode ficar de braços cruzados diante da maior catástrofe já vivida no Brasil

Continue depois da publicidade

Mais de 100 pecuaristas do Vale do Araguaia e Médio Norte Goiano angariaram R$ 320 mil que foram utilizados para o envio de 15 toneladas de carne de charque para pontos de urgência do Rio Grande do Sul.

“Fechamos uma carreta com 15 mil quilos de charque pelo fato de ser uma proteína de qualidade e que não depende de refrigeração para ser conservada”, explica, em nota, Paulo Leonel, diretor do Grupo Adir, com propriedades em Ribeirão Preto (SP) e Nova Crixás (GO).


A iniciativa que não se encerra só com essa primeira ação é dos grupos de criadores “T@g”, capitaneado por Waldemir Alves da Silva e Amadeu Fagundes, e “Unidos pela Pecuária”, liderado por Ery de Castro, Fernando Bernardino, Murilo Caiado e Diego Faria. “Há outros produtores envolvidos também e a ideia é seguir solidário”, adianta o pecuarista Luiz Humberto Guimarães.

Foto: Divulgação

“Quem cuida do Brasil, verdadeiramente, é quem cuida do seu povo no momento que ele mais precisa. Os gaúchos estão sem carne, porque não há pontos de fornecimento de energia elétrica e isso não pode ficar assim”, reforça Leonel.

VEJA TAMBÉM | Para Abramilho, indústria de carnes do RS deve recorrer a milho do PR e MT

Os criadores de Goiás entendem que não se pode ficar de braços cruzados diante da maior catástrofe já vivida no Brasil. “Então, como produzimos alimento, e a maior dor provém da falta d’água e de comida, decidimos agir cirurgicamente no fornecimento de carne”, explica Guimarães.

Outro líder do movimento de apoio, Waldemir Alves da Silva, com propriedade em Peixe (TO), porém morador de Porangatu (GO), pede que se mantenha a mobilização, pois a reconstrução demandará meses e até anos.

“Há muita destruição na pecuária, na indústria e na prestação de serviços. Milhares de pessoas estão sem alimento e sem trabalho remunerado, pois está tudo dizimado. Vai levar tempo, muitos recursos e muita ajuda para voltar a um estado de normalidade”, salienta Silva.

SAIBA MAIS | Agroindústrias do RS poderão comercializar produtos de origem animal para outros Estados

Certo é que um passo de cada vez deve ser dado. Primeiro, as ações para manter as pessoas vivas, protegendo-as da sede, fome e frio. Depois, com as águas voltando ao seu nível de base, todas elas poderão reconstruir suas vidas. “Mas não estarão sozinhas”, conclui Silva.

Fonte: Ascom Grupo Adir

Chuvas no RS: saiba como ajudar as vítimas das enchentes

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo