Balança tem superávit comercial de US$ 1,738 bilhão na 2ª semana de maio

Com esse desempenho, no mês de maio, a balança comercial acumula superávit de US$ 3,205 bilhões até o dia 12

Continue depois da publicidade

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,738 bilhão na segunda semana de maio, resultado de exportações de US$ 7,224 bilhões menos importações de US$ 5,486 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 13, pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Na primeira semana do mês, com apenas dois dias úteis, a balança comercial teve superávit de US$ 1,467 bilhão, com exportações de US$ 4,023 bilhões e importações de US$ 2,556 bilhões.


Com esse desempenho, no mês de maio, a balança comercial acumula superávit de US$ 3,205 bilhões até o dia 12. As exportações somam US$ 11,247 bilhões e as importações, US$ 8,042 bilhões. No ano, o saldo comercial é positivo em US$ 30,940 bilhões. As vendas externas somam no ano, até 12 de maio, US$ 120,096 bilhões, e as importações, US$ 89,156 bilhões.

Segundo dados divulgados pela Secex, até a segunda semana de maio, as exportações cresceram 8,2% na comparação com maio de 2023. Já as importações tiveram alta de 16,5% pela média diária.

VEJA TAMBÉM | Volume de embarques de carne bovina in natura do Brasil em abril/24 é o 2º maior da história

Por setores, até a segunda semana do mês, houve crescimento de 2,7% em Agropecuária; queda de 1,9% em Indústria Extrativa; e crescimento de 15,8% em Indústria de Transformação. Esse aumento das exportações foi puxado, principalmente, pelo crescimento nas vendas dos seguintes produtos: Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos (83,8%), Café não torrado (94,4%) e Algodão em bruto (464,8%) na Agropecuária; Pedra, areia e cascalho (123,0%), Minérios de cobre e seus concentrados (37,2%) e Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (214,3%) na Indústria Extrativa; Açúcares e melaços (34,8%), Celulose (104,3%) e Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (21,6%) na Indústria de Transformação.

Com relação às importações, o desempenho por setor, no acumulado de maio em relação ao mesmo mês de 2023, foi: crescimento de 64,2% em Agropecuária; alta de 70,6% em Indústria Extrativa; e aumento de 11,7% em Indústria de Transformação. O destaque nas importações foi para as compras de: Trigo e centeio, não moídos (116,1%), Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (71,9%) e Soja (95.224,1%) na Agropecuária; Fertilizantes brutos (exceto adubos) (125,7%), Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (130,7%) e Gás natural, liquefeito ou não (310,9%) na Indústria Extrativa; Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos (exceto óleos brutos) (45,4%), Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (119,0%) e Motores e máquinas não elétricos, e suas partes (exceto motores de pistão e geradores) (42,2%) na Indústria de Transformação.

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo