Boi gordo: no balcão de negócios, moderação é a palavra-chave, informam as consultorias

Durante a semana, as negociações entre indústrias e pecuaristas transcorreram sem grandes flutuações, mantendo os preços da arroba relativamente estáveis, diz a S&P Global

Continue depois da publicidade

Nesta sexta-feira (12/4), a pressão de baixa sobre os valores do boi gordo se dissipou temporariamente, abrindo espaços para o mercado físico operar com mais tranquilidade, relata a Agrifatto.

“As negociações entre frigoríficos e pecuaristas prosseguiram em um ritmo moderado, com compras apenas o bastante para manter as programações em nove dias, na média nacional”, observa a consultoria.


Com o intuito de barrar o encurtamento das programações e assegurar regularidade no abastecimento do mercado doméstico de carnes, alguns frigoríficos paulistas chegaram a pagar R$ 230 pela arroba do boi “comum” (sem prêmio-exportação), embora a quantidade negociada não tenha sido suficiente para estabelecer esse preço como referência.

“Nessas circunstâncias, duas das 17 praças acompanhadas registraram valorizações da arroba na quinta-feira: MA e MT”, diz a Agrifatto, citando o comportamento do mercado na quinta-feira (11/4). As outras 15 praças monitoradas pela consultoria mantiveram as suas cotações estáveis.

Nesta sexta-feira (12/4), apurou a Agrifatto, o preço médio do boi gordo em São Paulo também fechou estável, em R$ 227,50. “Todas as 17 praças acompanhadas sustentaram as suas cotações laterais”, ressalta.

Mercado Pecuário | Boi gordo: reta final da safra exige cautela dos pecuaristas

De acordo com apuração da S&P Global Commodity Insight, o mercado brasileiro do boi gordo encerrou a semana com negociações cautelosas e estabilidade nos preços na maioria das praças pecuárias.

“No mercado de bovinos, a semana findou sem grandes alterações nas negociações”, reforçam os analistas da S&P Global.

As interações entre pecuaristas e frigoríficos mantiveram-se em um ritmo cauteloso, refletindo uma demanda doméstica estável e uma oferta abundante de animais, acrescenta consultoria.

“No balcão de negócios, moderação foi a palavra-chave; durante as transações, tanto os produtores quanto os compradores agiram com prudência, considerando o cenário de demanda interna contida e a oferta excedente de determinadas carnes”, relata a S&P Global.

Carnes no atacado – No setor atacadista, enquanto os preços da carne bovina mostraram uma relativa estabilidade, observaram-se oscilações mais acentuadas no mercado suíno, com uma possível inclinação para baixa, informa a S&P Global.

No entanto, as vendas de frango abatido apresentaram uma recuperação em relação aos dias anteriores, impulsionadas pela proximidade do final de semana e a necessidade de abastecimento, acrescenta a consultoria.

SAIBA MAIS | Reposição: pressão de baixa no mercado de Mato Grosso perde força

Preços futuros em alta – No mercado futuro (B3), relata a Agrifatto, a tendência de valorização se manteve na quinta-feira (11/4), com todos os futuros apresentando ajustes positivos.

O contrato com vencimento em abril de 2024 encerrou o dia valendo R$ 232,25/@, com aumento de 0,28% em relação ao dia anterior.

Preços dos animais terminados apurados pela Agrifatto na sexta-feira (12/4):

São Paulo — O “boi comum” vale R$220,00 a arroba. O “boi China”, R$235,00. Média de R$227,50. Vaca a R$200,00. Novilha a R$215,00. Escalas de abates de nove dias;

Minas Gerais — O “boi comum” vale R$215,00 a arroba. O “boi China”, R$225,00. Média de R$220,00. Vaca a R$190,00. Novilha a R$200,00. Escalas de abate de nove dias;

Mato Grosso do Sul — O “boi comum” vale R$220,00 a arroba. O “boi China”, R$230,00. Média de R$225,00. Vaca a R$195,00. Novilha a R$205,00. Escalas de abate de sete dias;

Mato Grosso — O “boi comum” vale R$210,00 a arroba. O “boi China”, R$220,00. Média de R$215,00. Vaca a R$190,00. Novilha a R$195,00. Escalas de abate de sete dias;

Tocantins — O “boi comum” vale R$210,00 a arroba. O “boi China”, R$220,00. Média de R$215,00. Vaca a R$180,00. Novilha a R$185,00. Escalas de abate de nove dias;

Pará — O “boi comum” vale R$210,00 a arroba. O “boi China”, R$220,00. Média de R$215,00. Vaca a R$180,00. Novilha a R$185,00. Escalas de abate de treze dias;

Goiás — O “boi comum” vale R$215,00 a arroba. O “boi China/Europa”, R$225,00. Média de R$220,00. Vaca a R$190,00. Novilha a R$200,00. Escalas de abate de sete dias;

Rondônia — O boi vale R$190,00 a arroba. Vaca a R$175,00. Novilha a R$180,00. Escalas de abate de treze dias;

Maranhão — O boi vale R$210,00 por arroba. Vaca a R$185,00. Novilha a R$185,00. Escalas de abate de onze dias;

Paraná — O boi vale R$225,00 por arroba. Vaca a R$200,00. Novilha a R$205,00. Escalas de abate de sete dias.

CONHEÇA E-DBO | A nova linha de e-books da DBO

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo