Surto de gripe aviária atinge rebanho leiteiro nos EUA e interrompe produção

Há temores de que a doença se espalhe para o gado de corte e acabe prejudicando a demanda por carne bovina

Continue depois da publicidade

Um surto de influenza aviária que levou ao abate de cerca de 80 milhões de aves nos Estados Unidos nos últimos dois anos está afetando agora vacas leiteiras, interrompendo temporariamente a produção de leite e fazendo com que alguns Estados aumentem as restrições à movimentação de animais nas divisas interestaduais.

Há temores de que a doença se espalhe para o gado de corte e acabe prejudicando a demanda por carne bovina. Pecuaristas estão intensificando medidas preventivas, adotando táticas da indústria de frango para espantar aves silvestres conhecidas por transmitir a doença.

O pecuarista de leite Lucas Sjostrom, que cria 200 vacas perto de Brooten, no Estado de Minnesota, disse que pretende adotar medidas para evitar o derramamento de leite enquanto o produto é transportado para pasteurização.


Ele também está considerando instalar sistemas de laser para espantar aves silvestres, mas ainda não tem certeza de que o investimento faça sentido. “Nós simplesmente não sabemos como combater algo tão novo”, disse Sjostrom, que também é diretor executivo da Associação de Produtores de Leite de Minnesota. “Ainda estamos aprendendo muito.”

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) reportou nas últimas duas semanas casos de influenza aviária em mais de uma dúzia de rebanhos leiteiros no Texas, Kansas, Novo México, Michigan e Idaho.

VEJA TAMBÉM | EUA confirmam gripe aviária em rebanhos leiteiros de Idaho e Novo México

Nenhuma vaca morreu por causa da doença, disse o USDA, acrescentando que as infecções ficaram limitadas a animais mais velhos que se recuperaram depois de apresentar sintomas moderados. A doença ainda não foi confirmada em gado de corte.

Na segunda-feira, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) disse que uma pessoa no Texas foi infectada com o vírus da gripe aviária H5N1 após exposição a vacas leiteiras que supostamente também estavam infectadas.

A pessoa relatou vermelhidão nos olhos como único sintoma e foi tratada com um medicamento antiviral. O risco da gripe aviária para a saúde humana continua baixo para o público em geral dos EUA, disse o CDC, mas pessoas com exposição prolongada a animais infectados ou seus ambientes correm maior risco.

Os casos de gripe aviária em vacas leiteiras mexeram com os mercados de gado na última semana. Os preços futuros na Chicago Mercantile Exchange (CME) ficaram voláteis após as primeiras notícias e estão em queda nesta semana, com temores de menor demanda de consumidores por carne bovina ou restrições à exportação, disseram analistas.

LEIA MAIS | Santa Catarina renova decreto de estado de emergência zoossanitária para gripe aviária

Até agora, nenhum país impôs restrições à carne bovina ou a produtos de leite dos EUA por causa da gripe aviária. Analistas não acreditam que a doença afetará a demanda de consumidores por esses produtos, já que não prejudicou o consumo de frango ou ovos. O que afetou o consumo de ovos foram os preços altos, não a doença em si, afirmaram.

Não há preocupações com a segurança do leite comercial no momento, pois os produtos nas prateleiras das lojas são pasteurizados, de acordo com o USDA e a Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA).

As fazendas leiteiras devem enviar leite apenas de animais saudáveis para processamento, e o leite deve ser pasteurizado para entrar no comércio interestadual para consumo humano. O leite de animais infectados estão sendo retirado da cadeia ou destruído, disse o CDC.

O USDA disse ainda não saber se a doença está sendo transmitida de uma vaca para outra, e, por enquanto, atribui as infecções a aves silvestres. Alguns representantes da indústria disseram que a doença pode estar se espalhando por meio de leite não pasteurizado.

SAIBA MAIS | Carne bovina brasileira avança nos Estados Unidos mesmo diante de tarifa de 27%

A National Cattlemen’s Beef Association, entidade que representa pecuaristas nos EUA, disse estar recomendando que criadores limitem o trânsito de animais para fazendas ou confinamentos e coloquem em quarentena novos animais que estejam sendo introduzidos a rebanhos.

Fonte: Dow Jones Newswires

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo