Conteúdo Original | Revista DBO

RS: hora de tirar a lama e contabilizar perdas

Águas começam a baixar, revelando cenário de destruição nas pequenas propriedades gaúchas. Pecuária de corte foi a menos afetada pelas cheias.

Lote de 600 vacas de cria da Fazenda Canoa Mirim, em Santa Vitória do Palmar (RS), sendo transferido para terras mais altas.

Por Renato Villela 

A catástrofe sem precedentes que se abateu sobre o Rio Grande do Sul ganha contornos ainda mais dramáticos à medida que as águas começam a baixar. Até o fechamento desta edição, a Defesa Civil gaúcha havia confirmado 172 vítimas fatais e 42 desaparecidos. Foram afetados 2,39 milhões de gaúchos de 471 municípios. Há 580.111 pessoas desalojadas e quase 37.328 em abrigos.

Toda a cadeia de proteína animal foi atingida, incluindo fábricas de ração e indústrias frigoríficas. No campo, os prejuízos são contabilizados na morte de animais, danos à infraestrutura, perdas de lavouras e pasto, mas sobretudo nas histórias das pessoas que terão pela frente a árdua missão de reconstruir suas vidas e retomar suas atividades.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$ 12,70 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:
Outras edições

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo