Conteúdo Original | Revista DBO

Meta é varrer a aftosa do continente até 2028

Na Cosalfa, países sul-americanos discutem suspensão da vacinação, banco de antígenos e formas de ajudar a Venezuela no esforço de erradicação.

Plenária da 50ª Cosalfa, no Rio de Janeiro.

Por Renato Villela 

A 50ª Reunião Ordinária da Comissão Sul-americana para Luta Contra Febre Aftosa (Cosalfa), sediada no Rio de Janeiro (RJ), entre 25 e 26 de abril, mostrou grande avanço no combate à doença no continente, com países como Brasil e Bolívia próximos de solicitar reconhecimento internacional como livres sem vacinação, mas a Venezuela ainda está atrasada no processo. A despeito do esforço conjunto de cooperação técnica, este país não conseguirá eliminar a doença até 2025, como prevê o Plano de Ação do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (2021-2025). A meta ficou para 2028, quando estima-se que o continente finalmente será considerado livre do mal.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$ 12,70 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:
Outras edições

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo