Conteúdo Original | Revista DBO

Mercado do boi gordo estaciona

Os preços estão pressionados e sem espaço para grandes aumentos, diz Alcides Torres Jr., da Scot Consultoria

Por Alcides Torres Jr. – Engenheiro agrônomo e diretor-proprietário da Scot Consultoria, de Bebedouro, SP. Colaborou – Jéssica Olivier.

Estamos vivendo os efeitos do ciclo pecuário de preços, que, de ponta a ponta, dura entre 6 e 7 anos, em média, levando-se em consideração os últimos três ciclos. Agora, estamos em pleno ciclo de baixa. Quando isso acontece, a produção de carne aumenta. Pode-se observar esse fenômeno facilmente, hoje, no mercado.

A oferta de vacas e novilhas destinadas ao abate cresceu, justamente o contrário do ocorrido em 2020 e 2021, quando assistimos a uma forte retenção de fêmeas para a produção de bezerros, estimulada pelos bons preços das categorias de reposição, o que levou à queda na produção de carne.

Nos últimos 13 meses, porém, tudo mudou. O notável aumento na oferta de animais provocou uma retração de 21,2% na cotação da arroba do boi gordo. A cotação média em julho (até dia 19), nas praças pecuárias paulistas, por exemplo, foi de R$ 243,50/@. Essa queda é resultado do ciclo pecuário.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$ 12,70 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo