Conteúdo Original | Revista DBO

Intensificação da cria: desafio em dose dupla

Projetos de intensificação de cria, por meio de confinamento de vacas paridas, pedem protocolo sanitário mais robusto, para garantir a saúde de mães e filhos.

Vacas 1/2 sangue Angus confinadas com bezerros ao pé em fazenda de associado da Cooperativa Maria Macia, no Paraná.

Por Renato Villela

Antes restrita a grandes projetos, a intensificação da cria por meio do confinamento de vacas vem ganhando espaço também entre pequenos produtores, que passaram a apostar no ciclo completo. Motivos não faltam. Produzir o próprio bezerro reduz a exposição às oscilações de mercado e possibilita levar a boa genética até o cocho. Já o confinamento das vacas aumenta a produção de bezerros por hectare. Esse sistema, porém, traz um maior desafio sanitário, especialmente para os recém-nascidos, sujeitos a doenças que podem comprometer seu desempenho futuro ou até mesmo provocar sua morte.

O veterinário Paulo Prohmann, que acompanha projetos de intensificação de cria conduzidos por associados da Cooperativa Maria Macia, em Campo Mourão (PR), é testemunha disso. Quando os confinamentos de vacas começaram quatro anos atrás, os produtores adotaram o mesmo protocolo sanitário da cria tradicional. Não deu certo. “Tivemos de ajustá-lo, porque os desafios, tanto para as matrizes quanto para os bezerros confinados, são bem maiores. Hoje, temos um cronograma sanitário robusto, semelhante ao do gado de leite”, afirma.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$16,90 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: