Conteúdo Original | Revista DBO

Giro Rápido: fique por dentro das novidades da pecuária

Confira os destaques da seção ‘Giro Rápido’ da Revista DBO de outubro

Projeto de Lei vai contra a “carne de laboratório”

de lei apresentado pelo deputado Tião Medeiros (PP-PR), presidente da Comissão de Agricultura da Câmara. A proposta (4616/2023), ainda em tramitação, quer proibir pesquisas privadas, produção, reprodução, importação/exportação, transporte e comercialização de carne animal cultivada em laboratório.

O texto prevê sanções, como o cancelamento do registro de empresas que investirem nesse segmento, apreensão e destruição dos produtos, embargo e interdição dos estabelecimentos, perda de incentivos fiscais e financiamentos; além de multas que podem chegar a até R$ 10 milhões.

O projeto preserva apenas pesquisas públicas, desde que autorizadas pelo órgão competente. O objetivo, segundo o autor, é preservar a pecuária nacional – um dos principais pilares da economia – e assegurar a saúde pública, já que “não se conhecem a fundo os efeitos do consumo de carne cultivada a longo prazo”.

Frigol traça estratégias para 2024

Mesmo com o aumento de 22% previsto na produção de carne bovina, o Frigol espera queda em torno de 10% na receita de 2023. Isso se deve, principalmente, aos preços mais baixos pagos pela China, em relação a 2022. No primeiro trimestre, a empresa teve prejuízo, e no segundo, um lucro menor em comparação com o mesmo período de 2022.

A Frigol abriu um escritório em São Paulo para se aproximar do mercado financeiro e planeja crescer com gestão profissional. Para 2024, as perspectivas são mais positivas: a empresa espera incremento de 25% na produção de carne, custos de boi mais baixos e uma demanda firme da China. Também planeja aumentar a parcela da dívida de longo prazo, de 40% para 60%, e considera a emissão de títulos verdes, além de ampliar a participação de produtos de maior valor agregado, que representam 20% da receita atual.

ABMRA quer melhorar a comunicação no Agro

Melhorar a comunicação do agronegócio a partir de um pacote de ações estruturadas é o objetivo da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agro (ABMRA), que formalizou uma parceria com ESPM, instituição referência no ensino das mais diversas vertentes da comunicação, durante a abertura do 15º Congresso de Marketing do Agro, evento que reuniu 420 pessoas na capital paulista, em 13 de setembro.

Será lançada também uma revista virtual bimensal voltada à comunicação e marketing do Agro, além de uma plataforma online gratuita, o Hub ABMRA, que reunirá agências, fotógrafos, institutos de pesquisa e veículos de mídia para facilitar o acesso de empresas e produtores a fornecedores especializados em comunicação do setor. Ambas serão lançadas até novembro.

Cinco novos mercados para o gado em pé brasileiro

Cinco novos mercados externos foram abertos para a exportação brasileira de bovinos vivos: Rússia, Belarus, Armênia, Cazaquistão e Quirguistão. Eles integram a União Econômica Eurasiática (UEEA) e, juntos, gastaram cerca de US$ 200 milhões por ano em importações de gado em pé nos últimos cinco anos. A abertura dos novos mercados é resultado do esforço conjunto do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Etco comemora “30+1”anos de trabalho em prol do bem-estar animal

O campus da Unesp em Jaboticabal sediará, de 13 a 16 de dezembro, o Simpósio Internacional “Bem-estar Animal como Valor Agregado às Cadeias Produtivas de Carnes”, que também comemorará três décadas de atuação do Etco (Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal), completados em 2022.

Por isso, a celebração foi batizada de “30+1”. Conhecido internacionalmente, o Grupo Etco tornou-se um difusor de técnicas e conceitos sobre o bem-estar animal, com bandeiras que revolucionaram o manejo dentro das fazendas brasileiras. Uma delas é a redução da marca a fogo, projeto que evitou a aplicação de 68.000 marcas por ano nas fazendas-referência, desde que foi criado, em 2021, e que culminou na criação de um manual de boas práticas, lançado em julho deste ano.

Rebanho cresce pelo quarto ano consecutivo, com novo recorde.

Em 2022, a pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada neste mês de setembro pelo IBGE, apontou novo recorde na série histórica para o rebanho bovino brasileiro: 234,4 milhões de cabeças, alta de 4,3% sobre o levantamento anterior. Foi o quarto ano consecutivo de crescimento, resultado favorecido pelo aumento na produção bovina iniciado em 2019 – puxado pelos preços atrativos da arroba e do bezerro à época – movimento que provocou forte processo de retenção de fêmeas no País.

Em 2022, ainda havia reflexo deste comportamento de mercado, com crescimento nos principais Estados produtores. O Mato Grosso lidera com 34,2 milhões de cabeças, ou 14,6% do efetivo nacional. Em seguida vem o Pará (10,6%), ultrapassando Goiás (10,4%). No ranking municipal, São Félix do Xingu (PA), manteve a liderança, alcançando 2,5 milhões de cabeça

Plano faz 40 anos e alia-se à Boviplan

Como parte das comemorações de seus 40 anos, a Plano Consultoria, de Celso Lacorte, com sede em Piracicaba (SP), lançou, neste ano, um serviço chamado Auditoria Gerencial (AG). Trata-se de uma ferramenta para administração integrada da propriedade, que controla de forma interativa as despesas, custos e receitas desde o planejamento até sua execução. É mais uma etapa dos serviços oferecidos ao pecuarista desde 1983, relacionados a manejos reprodutivos, de pastagens e nutricionais.

A empresa foi uma das pioneiras na proposta de engorda de animais com dietas à base de bagaço de cana hidrolizado. Também participou do desenvolvimento de fórmulas de sal proteinado contendo ionóforos. Em 2023, a Plano firmou uma parceria técnico-comercial com outra consultoria renomada, a Boviplan, para atendimento de clientes em todas as regiões do País. Hoje, a empresa trabalha com projetos agrossilvopastoris e de sustentabilidade, com escalas variadas (500 a 50.000 hectares).

Pecuária baiana perde o gaúcho Almor Antoniolli

O pecuarista gaúcho Almor Paulo Antoniolli faleceu no dia 20 de setembro, aos 79 anos, notícia que consternou entidades do setor. A Associação Brasileira de Criadores de Devon e Bravon (ABCDB) destacou que “Antoniolli era profundo conhecedor e entusiasta da raça Devon e foi fundamental na ampliação de fronteiras e abertura de novos mercados. Visionário e determinado, também foi um dos pioneiros na produção de Bravon no País”.

Tamanho talento o levou a julgar a raça Devon na Expointer, nos anos de 1999 e 2015, lembrou Gilson Barreto Hoffmann, ex-presidente da ABCDB. Antoniolli deixou o Rio Grande do Sul em 1984 para desbravar a Bahia, transformando a Fazenda Nova Prata, em Correntina, numa referência em agricultura e pecuária no Estado. A Associação Baiana de Pecuária (Acrioeste) enalteceu seu projeto de Integração Lavoura Pecuária (ILP). O pecuarista deixa a esposa, Ana Gilda, duas filhas e quatro netos.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$16,90 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: