Conteúdo Original | Revista DBO

Frigoríficos correm para se ajustar às novas normas de manejo pré-abate

Portaria 365 prevê que os frigoríficos terão de ter, obrigatoriamente, um profissional responsável pelo bem-estar animal, além de capacitar constantemente os funcionários que atuam no manejo pré-abate dos bovinos

Jejum dos animais começa na fazenda e deve durar, no máximo, 24 horas.

Por Larissa Vieira

A indústria de carnes corre contra o tempo para se adequar às novas exigências do Ministério da Agricultura e Pecuária relativas ao manejo pré-abate e abate humanitário. Desde a publicação da Portaria nº 365, de 16 de julho de 2021, já ocorreram duas prorrogações e, agora, sua entrada em vigor está programada para o dia 1° de agosto.

A portaria prevê que os frigoríficos terão de ter, obrigatoriamente, um profissional responsável pelo bem-estar animal, além de capacitar constantemente os funcionários que atuam no manejo pré-abate dos bovinos. Com a proposta, o Brasil ficará alinhado às recomendações da Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA, antiga OIE) e às crescentes exigências do mercado consumidor em relação ao bem-estar.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$16,90 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: