Conteúdo Original | Revista DBO

Como reduzir a pegada hídrica da pecuária?

Medidas incluem o melhor manejo das pastagens, redução do estresse térmico animal, ajustes na suplementação e menos desperdícios.

Por Larissa Vieira

Na Europa, alguns supermercados já vendem alimentos que estampam, nas embalagens, informações sobre a quantidade de água usada (direta e indiretamente) para produzi-los, a chamada “pegada hídrica”. Essa realidade ainda é muito distante do Brasil, mas poderá, em futuro próximo, fazer parte da crescente lista de exigências do consumidor nacional.

Tentando sobreviver aos custos elevados dos insumos e às oscilações da arroba, o pecuarista tem ainda pela frente o desafio de incorporar esse conceito (considerado um coirmão da pegada de carbono) a seus sistemas produtivos, sem necessariamente ser bonificado, a curto prazo.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$16,90 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: