Conteúdo Original | Revista DBO

Bom Futuro monitora fornecedores indiretos

Grupo, que engorda 95.000 cabeças/ano em Mato Grosso, contratou empresa especializada para garantir conformidade socioambiental dos bezerros que adquire.

Gigante da terminação mato-grossense quer fornecer um animal com garantia de origem à indústria frigorífica.

Por Ariosto Mesquita

Rastrear os chamados fornecedores indiretos (aqueles que vendem bezerros, garrotes ou bois magros para recriadores e/ou terminadores) tem sido uma “pedra no sapato” dos frigoríficos, obrigados, nos últimos anos, a garantir não apenas a “conformidade” dos animais que abatem, mas também que estes não passaram por áreas com passivos socioambientais em etapas anteriores de sua vida (cria e recria), uma tarefa difícil, dado o tamanho da operação industrial.

Já se vê, contudo, um movimento de grandes terminadores, como o Grupo Bom Futuro, de participar desse processo. Desde março, o gigante agrícola mato-grossense (que também atua na pecuária) vem monitorando ativamente seus fornecedores e deixando de comprar de propriedades com embargos ou na lista do trabalho escravo. Na prática, está rastreando os “indiretos” para os frigoríficos, pelo menos no que diz respeito ao gado que compra para engorda.

Para continuar lendo é preciso ser assinante.

Faça já sua assinatura digital da DBO

Leia todo o conteúdo da DBO a partir de R$16,90 por mês.

Invista na melhor informação. Uma única dica que você aproveite pagará com folga o valor da assinatura.

Já tem uma assinatura DBO?
Entre na sua conta e acesse a Revista Digital:

Continue depois da publicidade
Compartilhe:

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: