Precoce MS avança com abate de 1,3 milhão de cabeças em 2023

Os produtores rurais tiveram quase R$ 117 milhões de incentivos pagos no ano passado, informa a Semadesc

Continue depois da publicidade

O Programa Precoce MS, que busca valorizar a produção de animais com qualidade de carcaça superior e uso de boas práticas agropecuárias, fechou 2023 com aumento no volume de gado abatido e ganhos de eficiência na pecuária estadual.

No ano passado, segundo dados da Coordenação de Pecuária da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação) o abate dentro do programa ficou em 1.395.610 animais, com 46.923 bovinos a mais em relação a 2022, ou alta de 3,4%.


O total de bovinos abatidos em todo o ano passado ficou em 3.523.827 reses, sendo 3.452.310 cabeças processadas em frigorífico dentro do Mato Grosso do Sul. Considerado o número de animais abatidos no Programa, o índice de abate de precoces ficou em 40,4% deste montante.

Já os produtores rurais tiveram quase R$ 117 milhões de incentivos pagos no ano passado. O Precoce MS conta hoje com 969 profissionais responsáveis técnicos habilitados; 3.557 estabelecimentos rurais cadastrados e 26 frigoríficos credenciados.

VEJA TAMBÉM | Programa Precoce MS passa por processo de aprimoramento e modernização

Mudanças – O Precoce MS passou por um processo de modernização e agora dispõe de novas regras de funcionamento, estabelecidas e publicadas na Resolução Conjunta Sefaz/Semadesc nº 90, de 13 de dezembro de 2023.

Segundo a gestora do programa, Gladys Espíndola, a partir de agora, para efeitos do cálculo para o pagamento do incentivo do animal precoce abatido, será feita uma valorização diferenciada, de forma que: 50% do valor do incentivo seja resultante do impacto da dimensão processo produtivo (estabelecimento rural); e 50% do valor em relação ao impacto da dimensão do produto obtido.

Ela acrescenta que com a modernização do programa, será feita a implantação de protocolos de produção nos estabelecimentos rurais envolvidos.

“Neste processo será ampliado o papel das Organizações Associativas credenciadas pela Semadesc que realizarão os trabalhos de verificação e validação do nível do sistema produtivo dos estabelecimentos cadastrados no Precoce/MS”, explicou.

De acordo com o secretário da Semadesc, Jaime Verruck, o programa faz parte das políticas públicas do Governo e, graças ao seu apoio, vem registrando avanços consecutivos de desempenho na busca por uma pecuária de sustentabilidade e engajamento da classe pecuária.

SAIBA MAIS | Famato e ABPO se reúnem para revisar protocolo de indicação geográfica da carne do Pantanal

“O resultado aponta o comprometimento dos produtores com o programa, e a constante modernização que o Governo busca em se tornar um Estado Carbono Neutro. Fizemos adaptações no Precoce MS para ter cada vez mais qualidade de carcaça, em menor tempo e dando mais apoio a quem utiliza técnicas modernas e sustentáveis”, salientou.

Fonte: Ascom Semadesc / Governo de MS

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo