Planejando a ILPF de acordo com os interesses do pecuarista; ouça

Sem um bom plano de ações e cronograma, o que era para elevar a produção pode trazer prejuízos e alterar a rentabilidade do negócio. Contudo, o modelo é o futuro da pecuária.

Continue depois da publicidade

Foto: Gisele Rosso

Na semana passada, em primeiro episódio, tratamos dos fatores a serem ponderados antes de se decidir pela estratégia da Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF).

Agora é preciso planejar para cumprir a missão. A integração foi concebida para trazer diversificação de produtos e otimizar o faturamento, elevando a qualidade da oferta de forragem; mas ela pode incorrer em problemas.


Em visão favorável à estratégia, torna-se preciso preparar um planejamento. O foco está no elenco das ações necessárias, em função de um cronograma e a disponibilidade de recursos.

Interesses claros definem a rota, velocidade e distância do chão, exatamente, como em um voo seguro de uma aeronave. Vários itens devem estar previstos.

Falando sobre o “Plano de voo” ou a jornada de implantação da ILPF, o “Planejamento Estratégico” das ações é o básico, porém sem desconsiderar variáveis e dificuldades que podem jogar o avião no chão.

Quem define o que é um planejamento efetivo é Gladys Beatriz Martinez, pesquisadora da Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA).

Foto: Arquivo pessoal

OUÇA  os comentários de Gladys Beatriz Martinez

É muito comum o produtor querer implantar o sistema, mas desconhecer o caminho ou ter dificuldades e construir objetivos.

Um técnico de confiança é necessário não só para planejar como para clarear ideias e referenciar objetivos. Uma dúvida comum é quanto às dificuldades decorrentes da região (ambiente) onde a propriedade está situada.

Definindo as ações no solo – Como reforçado no 1º episódio dessa reportagem (Quatro fatores para ponderar ao partir para ILPF; ouça), é importante em uma primeira conversa com o produtor, que ele externe seus interesses.

Ele pode, por exemplo, simplesmente, querer recuperar suas pastagens e mantê-las produtivas, instalando árvores para oferecer maior conforto ao rebanho.

Sombra promove conforto térmico aos animais (Foto: Divulgação)

Paralelamente, ele aproveita e sinaliza com qual perfil de animal (dos vários leiteiros ou de corte) e volume de rebanho que quer trabalhar e em qual sistema de produção.

Assim, é possível definir áreas, tipos de cultura e de forragens, considerando condições climáticas da fazenda, para então preparar o solo. Pode haver a necessidade de implantação de uma capineira, caso o verão seja muito forte.

Com essa base estabelecida, o pecuarista pode encaminhar análises de solo (perfis físicos, químicos e biológicos) dos vários tipos da fazenda e definir as respectivas correções e adubações, além de eventuais manejos como descompactação e formação de curvas de nível. Nesse momento, as áreas de implantação já estão definidas conforme a necessidade.

Tendências – Em função das exigências de uma lavoura de soja, Martinez toma por base a cultura do milho que, inclusive, pode servir na dieta do rebanho e é menos exigente.

De qualquer forma, na agricultura o maquinário aumenta em muita a eficiência. Ele pode ser adquirido, diante da disponibilidade de recursos do produtor, frente à frequência de safras.

Capim surgindo em área de ILP (Foto: Arquivo pessoal)

Contudo, pode valer a pena fazer parcerias com agricultores da região e dispor da infraestrutura que vem com eles. “Na maioria dos casos, o pecuarista pode recorrer dessa forma. Mas o gosto pelos resultados e o próprio aprendizado pode conduzi-lo à agricultura profissional. Entre outros itens, descobrir o quanto um solo fértil pode devolver em produtividade na criação é formidável”, explica.

Para o planejamento de implantação em diferentes regiões ou ambientes climáticos, faz-se necessário pequenos ajustes técnicos, mas, no País, há conhecimento científico acessível para colocar a ILPF no Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. “Não existe mais qualquer mistério para se proceder tais adequações, entre os profissionais bem-qualificados”, reforça.

Arborização – Se o produtor quer sombra para o bem-estar animal, a variedade de árvore e sua disposição (linhas ou blocos) na área determinam um caminho.

Já se ele almeja o aproveitamento da madeira, por exemplo, como mourões de cercamento, então ele abre mão de um pouco de sombra e coloca eucalipto. “É o mais comum. Creio que mais de 95% dos sistemas estabelecidos trabalham com a variedade”, estima.

Desbaste de eucalipto (Foto: Arquivo pessoal)

O espaçamento é um grande ponto, pois quando as árvores são jovens, o sombreamento é insuficiente nos piquetes de pastagem. Mas no decorrer do tempo – de sete a 10 anos – as árvores já estão com uma altura bastante grande, época em que o conforto térmico que proporcionam começa a fazer a diferença na produtividade dos bovinos.

Normalmente, indica-se o posicionamento das linhas de Leste para Oeste, permitindo que o sol faça seu trabalho na cultura do capim. Também o espaçamento entre as árvores, caso muito apertado, pode interferir na luminosidade necessária para as demais plantas do sistema, internas aos corredores. “Por outro lado, não se deve esquecer da umidade decorrente do sombreamento, ótima para o solo”, destaca Martinez.

A alternância e expansão – Outro item importante que a pesquisadora salienta é o tempo de permanência da lavoura na ILPF.

Conforme as árvores vão sombreando em demasia a área, a produtividade da cultura de milho, por exemplo, cai. Dependendo da queda, ela pode se inviabilizar, economicamente. Logo, a presença da lavoura tem sua importância em caráter temporário.

Foto: Arquivo pessoal

“Eu recomendo a saída após dois anos, para a entrada de pasto. É o tempo das árvores adquirirem certa estatura, caso do eucalipto, e sua existência não mais ser ameaçada pela presença bovina”, explica Martinez. Mas se a espécie de árvore tiver desenvolvimento mais lento, então, a cultura agrícola pode ser explorada por mais tempo.

A ILPF tem três componentes: lavoura, pecuária e floresta. Obviamente, os dois primeiros não atuam simultaneamente na mesma área.

Logo, o 1º passo é a implantação da lavoura e floresta, ficando como 2º o da pecuária com floresta. No planejamento, o pecuarista poderá ainda estar implantando o sistema em outras áreas e ampliando a estratégia de alta produção, na propriedade.

 

OUÇA MAIS 

O que as centrais de inseminação artificial procuram?

Estudo técnico visa melhorar índices de reprodução de bovinos; ouça

Dia Mundial da Água: uma pecuária que faz a lição de casa

Quatro pontos de atenção na transição para a seca

Seis ações para minimizar falta de chuva fora de época

Mais UA/ha com a cultura do capim

Forrageiras para intensificar a pecuária e segurar a seca

Melhore o caixa da fazenda investindo em boas fêmeas

Melhoramento animal é decisivo na lucratividade

Na recria é que se ganha dinheiro com pecuária

Para ganhar mais com boi em 2024 (Parte III)

Uma luz vermelha na produção de leite bovino

Para o mercado de leilões, dias melhores virão

CONHEÇA E-DBO | A nova linha de e-books da DBO

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Cadastre-se de gratuitamente na Newsletter DBO:


    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    clima tempo

    São Paulo - SP

    max

    Máx.

    --

    min

    Min.

    --

    017-rain

    --

    Chuva

    008-windy

    --

    Vento

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Colunas e Artigos

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Leilões em destaque

    Continue depois da publicidade

    Newsletter

    Newsletter

    Jornal de Leilões

    Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

    Continue depois da publicidade

    Vaca - 30 dias

    Boi Gordo - 30 dias

    Fonte: Scot Consultoria

    Vaca - 30 dias

    Boi Gordo - 30 dias

    Fonte: Scot Consultoria

    Continue depois da publicidade

    Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

    Encontre o que você procura:

    Pular para o conteúdo