OUÇA 🎧 | Pecuária sustentável agora tem um ‘Boi na Linha’

Indústrias filiadas à Abiec adotam o protocolo concebido pela Imaflora e Ministério Público Federal (MPF)

Continue depois da publicidade

Confirmando a tendência de entidades vitais para o agronegócio brasileiro, a exemplo do que fez a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) na semana passada, nessa terça-feira (6), a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) anunciou a adesão formal ao protocolo “Boi na Linha”.

Ele delimita ações socioambientais na compra de gado em todo o País. O modelo é resultado do trabalho conjunto da ONG ambientalista Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) e do Ministério Público Federal (MPF). Trata-se de um programa que dá parâmetros mais claros e inclusivos dos caminhos para a pecuária sustentável.


Quem esclarece é Fernando Sampaio, diretor de Sustentabilidade da associação. “A meta é que as empresas associadas à entidade que trabalhem na Amazônia atuem conforme o ‘Boi na Linha’, dentro de apenas um ano e que, em até dois anos, o restante delas”. A ideia é acertar o passo com a atual política ambiental do Brasil e aprimorar e facilitar o cumprimento da lei.

Fernando Sampaio, diretor de Sustentabilidade da Abiec (Foto: Divulgação)

OUÇA 🎧 os comentários de Fernando Sampaio

Para se ter ideia do que representa esse movimento inicial, números divulgados dão conta que 16 dos 39 frigoríficos que operam na Amazônia respondem por 74% do volume de abates com Serviço de Inspeção Federal (SIF) da região e 63% dos abates totais do País. “São as maiores empresas do setor e que, por este motivo, estão bem adiantadas no cumprimento do protocolo”.

SAIBA MAIS | Febraban quer financiar só o que é sustentável

Ocorre que, por serem as mais visadas, são as que saíram na frente e “há anos tomam providências”, segundo o dirigente.

Mas o movimento pela sustentabilidade não é isolado. Na semana passada, a Febraban baixou normativo para monitorar financiamentos de seus federados às indústrias do desmonte do boi.

Por ocasião, a Abiec manifestou seu apoio, porém ressaltando a necessidade de ampliar o monitoramento àqueles que entregam o boi produzido em áreas de florestas, exatamente os clientes diretos, pretensamente candidatos a desmatadores. “É preciso distribuir responsabilidades de forma equitativa”, afirmou a entidade.

Contudo, “o setor vai fazendo o que pode enquanto a rastrealibilidade engatinha”. Elos importantes da cadeia produtiva da carne bovina entendem que só se saberá a origem dos animais, assim como seus passeios por propriedades. Quando todos estiverem devidamente identificados, os lados da sustentabilidade estarão melhor divididos.

Mais informações: boinalinha.org

VEJA TAMBÉM | Câmara Setorial de Carne Bovina aprova proposta de sistema de rastreabilidade

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura:

Pular para o conteúdo