OUÇA 🎧 | Fim do movimento de retenção de matrizes pode ter início neste ano, avalia consultor

Para o médico veterinário Hyberville Neto, a etapa do ciclo pecuário é explicada pela forte pressão sobre os preços da arroba, porém o descarte de fêmeas não deverá ser muito expressivo em 2022

Continue depois da publicidade

O ciclo pecuário no País pode sinalizar seu novo recomeço neste ano. A avaliação é do médico veterinário Hyberville Neto, consultor do mercado de pecuária.

Para ele, os sinais de muita pressão no mercado de pecuária e a queda de preços da arroba podem sinalizar a mudança de comportamento da atividade no País.


Foto: Divulgação

“A expectativa de 2022 não é de um ano de retenção. Talvez seja o primeiro ano de descarte de fêmeas. Este descarte não deve acontecer de maneira expressiva porque nós temos uma situação de rentabilidade da pecuária interessante”, avalia Hyberville.

Grosso modo, o ciclo da pecuária segue o mesmo roteiro no Brasil e em qualquer lugar no mundo onde há produção de bovinos: arroba do boi gordo cai, maior abate de fêmeas; queda no número de vacas e bezerros, queda na oferta de boi gordo; arroba do boi sobe, bezerro se valoriza; produtor retém mais fêmeas, produção de bezerros e boi gordo sobem; conforme alta da produção, o preço da arroba cai, e aí recomeça o ciclo.

Nos anos em que há um maior descarte de matrizes são marcados especialmente por desinvestimentos na atividade e o mercado fica mais pressionado.

O gráfico elaborado pelo consultor mostra a evolução média porcentual dos preços da arroba do boi gordo em anos de descarte de fêmeas, em anos de retenção e na média geral.

“Na média dos anos de retenção, para dar um exemplo, o gráfico aponta 120 em dezembro, na linha em azul. Isso demonstra que, na média dos anos de retenção, os preços fecharam 20% acima das cotações de janeiro”, explica Hyberville.

OUÇA 🎧 na íntegra a avaliação de Hyberville Neto

Exportações

Outro ponto que também pode influenciar o mercado é a elevação da taxa de juros no País para 10,75% ao ano, anunciado pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) na semana passada. A taxa até então era de 9,25% ao ano.

“A elevação de taxa de juros, por um lado, valoriza o real, ajuda a conter a inflação e isso beneficia o mercado doméstico. Por outro lado, e neste caso é mais importante para a precificação do boi gordo, o dólar cede, e o dólar cedendo e aí temos um cenário menos atrativo para a exportação”, avalina Hyberville.

Apesar do retorno da China às compras à carne brasileira, para o consultor ainda há uma indefinição sobre o apetite do gigante asiático. Algo que deve ficar mais claro, após as festividades do Ano Novo Lunar, na China, que se encerra na terceira semana de fevereiro. Após este período e com as intenções de compras do país, a precificação do boi gordo ficará mais clara.

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Cadastre-se de gratuitamente na Newsletter DBO:


    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    clima tempo

    São Paulo - SP

    max

    Máx.

    --

    min

    Min.

    --

    017-rain

    --

    Chuva

    008-windy

    --

    Vento

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Colunas e Artigos

    Continue depois da publicidade

    Continue depois da publicidade

    Leilões em destaque

    Continue depois da publicidade

    Newsletter

    Newsletter

    Jornal de Leilões

    Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

    Continue depois da publicidade

    Vaca - 30 dias

    Boi Gordo - 30 dias

    Fonte: Scot Consultoria

    Vaca - 30 dias

    Boi Gordo - 30 dias

    Fonte: Scot Consultoria

    Continue depois da publicidade

    Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

    Encontre o que você procura:

    Pular para o conteúdo