Desconhecimento leva a subutilização da agricultura de precisão

Pesquisa revela que pouco mais de 15 % dos produtores utilizam, de fato, técnicas de amostragem de solo

Continue depois da publicidade

Foto: Pixabay.

 

A agricultura de precisão foi criada com o objetivo de identificar as diferenças de produtividade do solo e áreas mais afetadas por pragas para a aplicação correta da quantidade de fertilizantes e insumos. No entanto, a metodologia tem passado por obstáculos pela carência de informações tecnológicas disponíveis, o que faz com que produtores não aproveitem o potencial máximo  dessa inovação.


Uma pesquisa da Kleffmann Group junto a 992 produtores apontou que 45% deles utilizavam alguma técnica de agricultura de precisão na propriedade, entre elas a aplicação de sementes em população variável, pulverização e fertilização em doses variáveis, e o mapeamento da fertilidade do solo. O levantamento de 2013 foi feito entre produtores de soja, trigo e milho nas regiões Sul, Cerrado e Matopiba (composta pelos estados Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). O resultado revela que pouco mais de 15 % dos produtores utilizam, de fato, técnicas de amostragem de solo para obter mapas com diagnósticos da variabilidade espacial da fertilidade da terra, o que equivale a 9 milhões de 59 milhões de hectares pesquisados.

O estudo identificou ainda que a tecnologia mais adotada pelos produtores é o uso de piloto automático e que 58% dos agricultores tinham intenção de continuar investindo em novas tecnologias.

Segundo o professor José Paulo Molin, coordenador do Laboratório de Agricultura de Precisão da Usp-Esalq, a adesão dos métodos ainda é baixa pois o assunto é muito novo no mercado, com cerca de 16 anos de existência, fator que acarreta uma certa limitação do entendimento sobre a atividade.

“Tem que conhecer para entender e fazer. E, se quiser fazer, tem que ter algum empenho financeiro. Então, o que precisa é massificação da informação, divulgar em todos os níveis por meio de formadores de opinião para que adquira valor nas comunidades”, recomenda Molin.

De acordo com o pesquisador Ricardo Inamasu, da Embrapa Instrumentação o sistema ainda é complexo e exige muita informação, o que torna a adoção complicada pelos agricultores.

“Nós desenvolvemos muito conhecimento, mas é um pouco difícil de ser absorvido pelo setor produtivo. Nós temos uma porcentagem significativa de produtores que já adotam agricultura de precisão, mas para aumentá-la, entendemos ser necessário desenvolver procedimentos mais adequados que favoreçam a aplicação”.

Parceria

Por meio da parceria entre pesquisadores da Embrapa, de instituições privadas e produtores, o Instituto Matogrossense do Algodão (IMA) está desenvolvendo metodologias e procedimentos para facilitar o uso da agricultura de precisão. O IMA entra com recursos e o trabalho em campo e a Embrapa com o apoio técnico de pesquisadores de ponta na área.

“Lançamos um desafio junto com a Embrapa para desenvolver um sistema que sirva ao produtor para a tomada de decisões a tempo de corrigir eventual distorção de produção, da lavoura ainda para esta safra”, comenta o diretor-executivo do IMA, Álvaro Salles.

Salles destaca que a maior dificuldade entre os produtores da região é interpretar as informações colhidas em campo pela tecnologia e utilizá-las em tempo hábil. Ele defende que esta lacuna seja superada com investimento em pesquisa e capacitação.

“O desafio é realmente pesquisa e correlacionar os dados, porque a tecnologia está correndo muito mais rápido do que o conhecimento disponível”.

O produtor relata que o projeto permitiu identificar que poucos produtores de soja e algodão do Mato Grosso utilizam todo o potencial da tecnologia disponível no mercado.

“Alguns produtores não utilizam praticamente nada, muito por desconhecimento e falta de conectividade. Compram uma máquina nova que tem todo o aparato, tecnologia embarcada, mas junto de máquinas antigas que não dispõem dessa tecnologia”, finaliza Salles.

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Programas

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: