ARTIGO | Como o valor genético impacta a produção e a lucratividade bovina

LEIA o artigo dos zootecnistas Lauriston Bertelli e Wellington Araújo

Continue depois da publicidade

Por Lauriston Bertelli e Wellington Araújo*

Foto: Divulgação

O valor genético desempenha um papel importante na produção e lucratividade na bovinocultura, já que se refere às características genéticas inerentes e ao potencial que um animal individual possui, podendo influenciar no desempenho, na produtividade e no valor econômico da indústria pecuária. Ao selecionar animais com características desejáveis, é possível aumentar a produtividade, melhorar a eficiência, reduzir os custos e atender as demandas do mercado.

Entre as características buscadas com a seleção genética, se destacam o aumento da produção de leite, maior produção e melhor qualidade da carne, aumento da fertilidade, maiores taxas de crescimento e melhores índices de conversão alimentar. Ao focar nessas características, os produtores podem otimizar a atividade e o desempenho do rebanho bovino, elevando os resultados financeiros.


Para a produção de carne, tanto em clima temperado como em clima quente ou tropical, existem raças de desempenho produtivo satisfatório, como Angus, Hereford, Brahman, Nelore e outros, que tendem a apresentar boa eficiência biológica e elevadas taxas de crescimento.

Por outro lado, raças direcionadas para a produção de leite ou ainda raças de gado locais e animais SRD (Sem Raça Definida) geralmente possuem características únicas, como resistência a doenças, robustez e compatibilidade com os recursos alimentares locais, mas apresentam taxas de crescimento e produtividade geral inferiores em comparação com raças especializadas.

Nesse sentido, a bovinocultura de corte visa direcionar a seleção de características associadas à eficiência alimentar, como melhores taxas de conversão do alimento em carcaça, e maiores ganhos de peso por unidade de ração consumida.

Quanto melhor for essa conversão para uma mesma dieta, menor será o custo da arroba engordada, sendo o grupo racial um dos principais fatores de impacto para a característica. Além disso, padrões raciais distintos podem interferir diretamente no tempo até que os animais cheguem ao ponto ótimo de abate (precocidade) e em características de carcaça desejáveis.

A superioridade de determinadas raças para a produção de carne se dá especialmente por diferenças significativas na eficiência biológica, um importante índice que avalia a necessidade de consumo de alimento para conversão em carcaça.

Isso significa que animais com maior potencial genético consomem menor quantidade de alimento para produzir o mesmo quilo de carne, apresentando vantagens consideráveis em relação ao custo, o que torna a atividade pecuária mais rentável.

A análise econômica dos sistemas de produção é essencial para ajudar o produtor a tomar decisões. A avaliação dos custos com a alimentação de bovinos é fundamental, uma vez que estes representam mais de 70% do custo de produção de forma geral e está diretamente relacionada ao potencial produtivo dos animais.

Recentemente, a equipe de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Premix realizou um estudo que avaliou o desempenho de três grupos genéticos: um composto por Nelore PO, outro por bovinos SRD de valor genético e fenótipo mediano e um outro de animais SRD de valor genético e fenótipo inferior.

A pesquisa mostrou que os animais da raça Nelore obtiveram melhor conversão, apresentando valores de eficiência biológica 14,5% superiores ao grupo SRD mediano, e 18% superiores ao grupo SRD inferior. Esses resultados influenciam diretamente no custo de produção, apontando a necessidade de consumo de alimento para o ganho de carcaça, levando a um impacto significativo na análise econômica do sistema.

Os resultados de ganho de carcaça diário foram de 1,119 kg/dia para a raça Nelore, 0,923 kg/dia para animais SRD medianos e 0,870 kg/dia para animais SRD inferiores, o que resulta em aproximadamente 3 dias a mais de confinamento para o ganho de uma arroba de carcaça na comparação entre SRD mediano e Nelore e aproximadamente 4 dias a mais de confinamento quando comparado SRD inferior com o Nelore.

Transformando os dados em diferenças econômicas, é possível inferir um custo por arroba produzida 17% superior para animais SRD medianos e 22% superior para animais SRD inferiores, comparados com os animais Nelore, deixando evidente o diferencial de valor de animais com mais qualidade.

É importante ressaltar que todo animal pode se tornar viável para os diversos sistemas de produção, desde que todas as variáveis, produtivas e econômicas, sejam analisadas em conjunto, levando em consideração índices como eficiência biológica, custo da dieta e também o mercado de compra e venda de animais.

Isso significa que a produção de animais com valores de eficiência biológica insatisfatórios ou menor potencial de desempenho necessitam de compensação no momento de tomada de decisão, como por exemplo, melhores preços de aquisição por kg de peso corporal ou por arroba comprada.

Por fim, a seleção de animais com valor genético favorável contribui para a sustentabilidade da operação pecuária. Buscando características que melhorem a eficiência, a saúde e a produtividade, os produtores podem otimizar a utilização de recursos, reduzir os impactos ambientais e garantir a viabilidade dos negócios diante das mudanças na dinâmica do mercado e nas práticas industriais em evolução.

É importante observar que a eficiência de grupo genético é altamente dependente do ambiente em que ele está inserido. Fatores como clima, recursos alimentares disponíveis, práticas de manejo e desafios sanitários também podem afetar diretamente o desempenho.

Os produtores precisam então escolher raças que se alinhem com seus objetivos de produção, condições locais e capacidade de gerenciamento para otimizar a eficiência, a sustentabilidade e a rentabilidade.

As referências bibliográficas encontram-se com os autores.

* Msc Lauriston Bertelli Fernandes é zootecnista e diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Premix. Wellington Luiz de Paula Araújo é zootecnista, doutor em Nutrição e Produção Animal e analista de Pesquisa e Desenvolvimento na Premix.

Gostou? Compartilhe:
Destaques de hoje no Portal DBO

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

clima tempo

São Paulo - SP

max

Máx.

--

min

Min.

--

017-rain

--

Chuva

008-windy

--

Vento

Continue depois da publicidade

Colunas e Artigos

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Leilões em destaque

Continue depois da publicidade

Newsletter

Newsletter

Jornal de Leilões

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Continue depois da publicidade

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Vaca - 30 dias

Boi Gordo - 30 dias

Fonte: Scot Consultoria

Continue depois da publicidade

Programas

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Continue depois da publicidade

Encontre as principais notícias e conteúdos técnicos dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da mais completa cobertura dos leilões de todo o Brasil.

Encontre o que você procura: